Rondônia, domingo, 28 de novembro de 2021, às 21:48 [email protected] - Telefone 69 9 99475050

domingo 28 novembro 2021

Jovem morto em confronto com PM na 6ª feira é filho de evangélicos de situação estável, mas escolheu o próprio caminho

Rafael tinha todos os atributos para continuar a vida ajudando seus pais, namorar, casar, constituir família. Mas insistiu em seguir outra bifurcação da estrada da vida

PORTO VELHO – A vida é uma estrada reta, mas pode ter suas bifurcações e encruzilhadas e, quem não pega o caminho certo, pode acabar abreviando-a. É, portanto, com grande tristeza que se assiste a grande parte da juventude nascida a partir da metade da década de 1990 tomando caminhos duvidosos, fazendo da vida um ato efêmero. Jovens com muito ainda por viver.

Uma família moradora da cidade de Buritis, na região da grande Ariquemes, na Vale do Jamari, chora a dor de perder um filho jovem, com um futuro promissor pela frente, mas que preferiu escolher caminhos tortuosos até tombar, aos 20 anos, mortalmente ferido a tiros de grosso calibre, em confronto armado com a Polícia.

Este jovem é Rafael Gasparini Tedesco, o ‘Xuxa’, 20 anos, morto na sexta-feira durante confronto com a Polícia Militar em uma área de uma das fazendas disputadas pelos sem-terra na região de Mutum-Paraná.

Rafael tinha todos os atributos para continuar a vida ajudando seus pais, namorar, casar, constituir família. Mas insistiu em seguir outra bifurcação da estrada da vida. Um caminho breve.

Rafael estava armado e fazia a guarda de um dos acampamentos dos vários que as lideranças desse movimento montaram ou na região. No momento do confronto ele estava junto com Gedeon José Duque, acusado de vários homicídios e de ser o executor de um oficial da reserva da PM naquela região, ano passado.

Armas e munições apresentadas pela PM após o confronto como sendo de Rafael e Gedeon

A reportagem do expressaorondonia conversou com a irmã de uma tia de Rafael, um jovem nascido em Ji-Paraná, mas que ainda pequeno veio para Buritis, para onde a família dele se mudou na primeira metade da década de 2000.

Nascido em 2001, portanto, jovem e bem afeiçoado, com todos os atributos para levar uma vida dentro da normalidade e construir um futuro promissor, Rafael desde garoto começou a apresentar sinais de rebeldia, a não obedecer aos pais e procurar companhias estranhas à família.

Clima continua tenso na região, como neste momento em que os sem-terra tentam transpor uma barreira de controle da área

O pai de Rafael é um homem evangélico, presbítero de sua igreja, de situação econômica estável. Possui sítio em Buritis, onde também tem comércio e sempre lutou para que o filho se interessasse em cuidar dos bens da família.

Mas, apegado à rebeldia juvenil própria dos jovens, Rafael a cada dia se distanciava mais da família e se envolveu com os integrantes da chamada Liga dos Camponeses Pobres (LCP) – um grupo de pessoas dissidentes do Movimento Camponês Corumbiara, muito violentas e que pregam fazer a reforma agrária na marra.

Rafael já sem vida, depois de ser socorrido a UPA de Jacy-Paraná

Eles usam armas de grosso calibre e recrutam para o grupo pessoas acusadas de homicídios e roubo, que adotam a violência como forma de vida. Principalmente contra a polícia e o estado institucionalizado.

Rafael se juntou a esse grupo e, da região de Buritis e Jacinópolis, migrou para a região de Mutum-Paraná e Ponta do Abunã, no Alto Madeira, onde vem promovendo invasões de fazendas, matando e torturando trabalhadores dessas áreas e, às vezes, enfrentando a polícia em emboscada e outras táticas de guerrilha rural.

PM emite Nota sobre o confronto com suspeitos na região invadida

A Polícia Militar de Rondônia (PMRO) informa à sociedade rondoniense quanto ao desenvolvimento da Operação Nova Mutum, frente às principais ações policiais e acontecimentos.

Durante ações coordenadas da Operação Nova Mutum, em patrulhamento ostensivo preventivo no decorrer do início da manhã de hoje, 29, uma equipe policial foi surpreendida com disparos de armas de fogo por dois suspeitos na mata dentro da região invadida, havendo confronto com troca de tiros. Os dois suspeitos foram baleados e imediatamente socorridos, sendo levados para um hospital no distrito de Jacy-Paraná, mas não resistiram e vieram a óbito.

Posteriormente os suspeitos foram identificados por Gedeon José Duque, foragido da justiça envolvido no homicídio dos policiais militares tenente PM Figueiredo e sargento PM Rodrigues e tentativa de homicídio do tenente PM Ferraz no começo de outubro do ano passado, na região invadida da fazenda Norbrasil, bem como Rafael Gasparini Tedesco, conhecido como “Xuxa”, um dos comparsas de Gedeon.

Com os suspeitos foram localizadas três armas de fogo, sendo duas pistolas calibre 9 mm com 192 munições e uma espingarda com 39 munições de caça, luneta, balaclava, notas promissórias de vendas de terrenos de regiões invadidas, entre outros materiais de procedência duvidosa. Diligências policiais na região ainda estão acontecendo.

A Operação Nova Mutum

A Operação Nova Mutum objetiva agir preventivamente na região da Ponta do Abunã, cessando e evitando ilícitos diversos com o patrulhamento ostensivo, bem como também dando o aporte de segurança necessário para a reintegração de posse da área invadida, com o apoio na segurança dos Oficiais de Justiça que possuem a atribuição de executarem as decisões judiciais.

Outras informações poderão ser concedidas pela Assessoria de Imprensa da Diretoria de Comunicação Social da PMRO (DCOMS) pelo e-mail: [email protected]r.

Por: Carlos Araújo, com informações da Polícia Militar de Rondônia

Outras notícias