RO, Sábado, 25 de maio de 2024, às 13:15



RO, Sábado, 25 de maio de 2024, às 13:15


CORTANDO NA CARNE – MP faz buscas e afasta promotora investigada por lavagem de mais de 200 milhões do tráfico de drogas

A operação é resultado de investigações da Polícia Federal que apuram a prática de crime de tráfico de drogas, associação para o tráfico, organização criminosa e lavagem de dinheiro oriundo do comércio ilícito de entorpecentes

PORTO VELHO – O Ministério Público do Estado de Rondônia (MPRO), com o apoio operacional da Polícia Federal, deflagrou na data de hoje, 12, a ‘operação alcance 2’, nas cidades de Porto Velho e Ouro Preto do Oeste/RO, com a finalidade de dar cumprimento a 14 mandados de busca e apreensão, um afastamento de cargo público e medidas assecuratórias de bens móveis, imóveis, direitos e valores no valor total de R$ 212.401.567,11 (duzentos e doze milhões, quatrocentos e um mil, quinhentos e sessenta e sete reais e onze centavos), todos expedidos pelo Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia (TJRO).

Polícias da PF e da Polícia Civil durante a preleção que antecede o início da operação

A investigação foi iniciada e conduzida pelo próprio MPRO, em face do suposto envolvimento de uma de suas integrantes nos fatos objeto da ação penal 7037062-31.2021.8.22.0001 (Operação Alcance/Aysha), resultado de trabalho investigativo realizado pela delegacia de Repressão a Entorpecentes da Superintendência Regional da Polícia Federal em Rondônia (DRE/SR/PF/RO), que apura a prática de crime de tráfico de drogas, associação para o tráfico, organização criminosa e lavagem de dinheiro oriundo do comércio ilícito de entorpecentes.

Foi requerida pelo MPRO e autorizada pelo TJRO a instauração de Procedimento Investigatório Criminal (PIC) visando apurar possível prática delituosa supostamente cometida com a participação de integrante do MPRO, a princípio definida como lavagem de dinheiro (art. 1º da Lei 9.613/1998), tendo outras pessoas como supostos coautores ou partícipes.

- Advertisement -



O objetivo da operação é colher novos elementos probatórios para instruir procedimento investigatório criminal (PIC) em curso no MPRO, sob a autorização e supervisão judicial, que apura, entre outros, os crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa. A pedido do Ministério Público, a integrante da Instituição foi afastada preventivamente do cargo, pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias.

fachada do edifício-sede do Ministério Público de Rondônia em Porto Velho

Os mandados estão sendo cumpridos simultaneamente em Porto Velho e Ouro Preto do Oeste, envolvendo um efetivo aproximado de 75 (setenta e cinco) pessoas, entre procuradores de Justiça, promotores de Justiça, delegados, agentes e escrivães das polícias Civil e Federal e servidores do quadro administrativo do MPRO.

O nome atribuído à operação é uma referência ao desdobramento da Operação Alcance/Aysha, deflagrada pela Polícia Federal em setembro de 2021, da qual resultou a notícia aportada na Ouvidoria-Geral do MPRO, ensejando a apuração ministerial que, por sua vez, desaguou na descoberta de fatos até então desconhecidos.

Fonte: Gerência de Comunicação Integrada (GCI-MPRO)






Outros destaques


+ NOTÍCIAS