De acordo com o parlamentar, a ausência de atendimento médico nas unidades de saúde do estado ainda é alarmante.

RONDÔNIA – O deputado estadual Anderson Pereira (PROS), encaminhou ao Governo do Estado, com cópia à Secretaria de Estado da Saúde – Sesau, na pessoa do secretário, Fernando Máximo, ofício nº 2922/2021/GDAP, solicitando informações e providência quanto ao motivo que levou o estado a realizar, na última terça-feira (14), a exoneração em massa de servidores da área da saúde.

Segundo informado pelos trabalhadores, não houve aviso prévio por parte do Governo de Rondônia sobre o fim dos contratos. A decisão é vista por parte da categoria como injusta por ter sido apresentada “do dia para a noite” e poderia prejudicar as escalas de plantão nas unidades de saúde.

De acordo com o parlamentar, a ausência de atendimento médico nas unidades de saúde do estado ainda é alarmante. Com a demissão desses profissionais, escalas e setores sofrerão baixa expressiva e a assistência ficará alarmantemente comprometida, além de gerar maior sobrecarga aos servidores efetivos do estado, já exauridos pelos excessos de plantões e perdas salariais e emocionais. Esses profissionais poderiam reforçar outras unidades de saúde do Estado que estão com baixo efetivo, fragilizando os atendimentos ao cidadão.

Anderson ressalta que não há como justificar as diversas exonerações realizadas em desfavor desses profissionais, considerando que poderiam ser realocados em outras unidades de saúde a fim de suprirem a carência de atendimento médico, tendo em vista que o sistema público de saúde em Rondônia encontra-se defasado.

“A pandemia ainda não acabou e vários desses profissionais se desdobraram em escalas exaustivas, deixaram suas famílias para cuidar dos mais diversos pacientes que passaram pelos hospitais em Rondônia. Ainda temos profissionais abalados por terem presenciado tantas mortes, não é justo que agora sejam desamparados desta forma. Reafirmo que a pandemia ainda não acabou e algo precisa ser feito para não prejudicar a população”, finalizou Anderson Pereira.

 

 

Texto: Alan Nascimento/ALE-RO

Foto: Assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui